Flor Mulher

Flor Mulher

A flor murchou no vaso da janela
passou a vida, foi-se a esperança.
partiu sem despedida e sem lembrança.
Mas outra decerto virá após ela.

Um beijo toca aquela face amarela,
pálida que está a tola criança.
Ele toma-lhe a mão para uma dança.
E o coração então não é mais dela.

Foi-se agora a inocência,
o sonho pueril morreu.
Perdeu-se do olhar a transparência.

Em seu corpo uma mulher nasceu
motivada por muita carência,
sem pudor ao desejo cedeu.

©Por Lilly Araújo -14/05/2011 – Direitos Autorais Reservados.

Publicado na CBJE-RJ

Anúncios

About lillyaraujo13

Bióloga. Poeta. Amante de Deus, das crianças, das pessoas de boa fé e dos animais.

Posted on 23 de Julho de 2011, in Poemas de Lilly, Publicados em Antologias and tagged , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Obrigada por comentar!!!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: