Sem sal

maxresdefault

  “Recusa de imediato o namoro insípido, porque não há sal que dê jeito em afetos falidos.”

[Trecho do texto: “Onde não puderes amar, não te demores”. Por Graça Yaguti]

Não quero sal na minha carne.
Não quero nada que tente conservar,
preservar, protelar
o paladar imediato.

Quero carne fresca,
pulsando vida,
sangrando pelas nervuras,
arrepiando-me a pele.

Quero aquilo que eu prove
por prazer, por querer,
por desejar e não me conter.

Não quero
nada forçado,
arrombado,
estuprado…
Nada de cumprir a cartilha…

Quero provar apenas
aquilo me dê água na boca,
que me salive,
e que escorra por todas
as minhas curvas.

Quero água límpida
nunca TURVA!

Não quero sal na minha carne,
quero o tempero do prazer,
a frescura que se colhe
em cada manhã,
no orvalho pousado na relva.

Quero um amor de carne
e sangue a correr,
desses que se prova
com vontade de morrer.

Lilly Araújo 27/11/14

Anúncios

About lillyaraujo13

Bióloga. Poeta. Amante de Deus, das crianças, das pessoas de boa fé e dos animais.

Posted on 27 de Novembro de 2014, in Poemas de Lilly and tagged , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Obrigada por comentar!!!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: